Notícias Hotelaria Profissional
Newsletter
Cadastro Newsletter
Busca
PUBLICIDADE
Banner topo Cozinha Profissional HP Anuncie
Cozinha Profissional
Fotolia/fotogestoeber
02/05/2014 - 18h07
Hospedagem para Copa fica mais barata
Grande expectativa de damanda e alto preço inicial impulsionaram a queda


A hospedagem no Rio de Janeiro para assistir à final da Copa do Mundo, no dia 13 de julho, ficou mais barata entre janeiro e abril. A diária média na capital fluminense para a data caiu 43%, passando de R$ 1.441 no começo do ano para R$ 816 neste mês.

Os valores são de levantamento feito pelo Trivago, site que compara preços de hotéis em mais de 40 países. A consulta foi realizada só para quartos que acomodam duas pessoas, de acordo com a disponibilidade dos hotéis em cada cidade.

Em relação aos dados de janeiro, que não correspondem a todas as sedes, a maior queda foi registrada no Rio. A diária para ver o jogo entre Espanha e Chile, em 18 de junho, ficou 52% mais barata. O mesmo movimento aconteceu em São Paulo e Salvador, onde o custo da hospedagem caiu até 34%.

Para o presidente da consultoria especializada em hotelaria BSH, José Marino, a redução das tarifas foi consequência de uma premissa equivocada: a de que a demanda ligada à Copa do Mundo seria suficiente para garantir a ocupação.

Segundo Marino, animados com as possibilidades do torneio, muitos empresários consideraram que não seria preciso atrair eventos corporativos ou turistas de lazer para preencher as vagas. “Empresas cancelaram congressos e turistas deixaram de visitar cidades-sede durante a Copa com medo de faltar leito. Achava-se que o evento traria um número gigantesco de pessoas”, diz.

Para ele, com a percepção de que boa parte dos torcedores são brasileiros e não precisarão de hospedagem, os empresários devem se reorganizar para elevar a ocupação. Daí a redução de preços.

Para o vice-presidente da Abih (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis), Nerleo Caus, as tarifas menores também são consequência de uma mudança de percepção sobre a Copa. Ele vê a queda das diárias como um movimento de acomodação do setor, após os hotéis estabelecerem preços muito altos, baseados no otimismo inicial. O cancelamento de reservas feitas com antecedência e o desbloqueio de leitos pela Match Services, operadora de turismo oficial da Fifa, também teriam contribuído para a diminuição.

De acordo com o FOHB (Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil), 9% dos leitos do Rio estavam bloqueados pela Match em fevereiro. Neste mês, são apenas 4%. “Passada a euforia, começa a aparecer a realidade. À medida que os preços caem, os hotéis ficam mais atrativos. Muita gente vai reservar 30 dias antes”, diz Caus.

Até o final do mês, a Match deve informar novamente onde vai desbloquear ou bloquear leitos, ajudando a definir o novo cenário do setor.

Fonte: UOL - 23/04/2014
Untitled Document
Editora Nova Gestão Ltda. | Tels.: (11) 3562-3166 | (11) 3562-3170


Site desenvolvido por Lucia Cavalcanti